Inicio » Notícias » Conselheiro tutelar da capital é acusado de explorar e persuadir adolescentes à prostituição

Conselheiro tutelar da capital é acusado de explorar e persuadir adolescentes à prostituição

O Ministério Público e a Polícia Civil cumpriram mandados de busca e apreensão no Conselho Tutelar da Microrregião 3, zona leste da capital, na manhã desta quarta-feira (24). A ação ocorreu em razão de denúncias ligando um dos conselheiros tutelares à exploração sexual de adolescentes e aliciamento delas à prostituição. A juíza Tatiana Golbert, da 6º Vara Criminal, autorizou as buscas, que também foram realizadas na casa do suspeito.

Foram apreendidos computadores, pen drives e o celular do acusado. Foi encontrado, no arquivo de buscas do computador do Conselho Tutelar, pesquisas em sites de pedofilia e de agenciamento de programas sexuais internacionais. Até então, a identidade dele é preservada e a prisão ainda não foi realizada pois “foi constatado que ele tem como estratégia apagar as fotos e os arquivos”, o que impede a PM de fazer prisão em flagrante.

No entanto, com a apreensão dos aparelhos, serão recuperadas imagens e conversas que poderão incriminá-lo. “Também temos o possível agenciamento de programas e ou a prática de programas sexuais com adolescentes, o que depõe contra o dever moral do Conselho Tutelar”, como declara o promotor de Justiça da Infância e da Juventude Júlio Almeida.

O homem soma denúncias de mães de vítimas, bem como de pessoas anônimas e da própria família. Conforme as informações, ele mantinha conversas com adolescentes, e, em algumas ocasiões, pedia e recebia fotos das menores nuas. Também acusado por prostituição, o conselheiro recebia e fazia o pagamento pelos “programas” nas dependências do próprio instituto de defesa da juventude e da infância. Entre as conversas apresentadas por uma das vítimas, o investigado, de 36 anos, a aconselhava a participar do esquema, já quem por ser “novinha” atrairia muitos homens e ganharia até mil reais por semana.

Com o resultado das perícias nos materiais apreendidos, as acusações poderão ser comprovadas e, com isso, o inquérito policial e o processo seguirão, paralelamente.

Autor: admin
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Login

Perdeu sua senha?