•  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) começará neste mês a aplicação de testes do tipo RT-PCR em motoristas de caminhão que saem do Rio Grande do Sul em direção à Argentina. Trata-se de uma iniciativa da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) em conformidade com a legislação do país vizinho, que exige resultado negativo de coronavírus em profissionais da categoria que atravessam a aduana.

Alvo de tratativas desde a metade de 2020 e que avançou nas últimas semanas, o assunto esteve na pauta de uma reunião virtual realizada nesta segunda-feira (10). Participaram representantes do governo gaúcho, gestores municipais, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Associação Brasileira de Transportadores Internacionais (ABTI).

Os municípios de Passo Fundo (Região Norte), Osório (Litoral Norte), Vacaria (Campos de Cima da Serra), Bento Gonçalves, São Marcos e Caxias do Sul (Serra Gaúcha) serão parceiros da ação. A colaboração se dará por meio da disponibilização de postos de saúde para coleta dos exames dos caminhoneiros que passarem por essas cidades.

Já a PRF oferecerá orientações aos motoristas, bem como garagens para o estacionamento dos veículos de carga durante o tempo em que o condutor estiver se submetendo ao teste de covid.

De acordo com a titular da SES, Arita Bergmann, a escolha dos municípios é “estratégica”. Isso porque a maioria dos motoristas de caminhão que vêm de outros Estados ou partem do Rio Grande do Sul, mesmo a caminho da Argentina, precisa passar por algum desses pontos, nas principais rodovias federais.

Detalhes

A data exata do início da medida e outros detalhes sobre os locais de coleta será informada oficialmente nos próximos dias. Já se sabe, por enquanto, que o exame será feito em locais que já oferecem o serviço, postos de saúde e hospitais, por exemplo.

Para realizar o teste RT-PCR, o caminhoneiro deverá portar um documento chamado Manifesto Internacional de Cargas (MIC), a fim de provar que atravessará a fronteira com a Argentina.

Todos os insumos necessários aos testes (cotonete-swab de coleta nasal e faríngea, kits de extração de RNA e amplificação) serão oferecidos pelo Ministério da Saúde, por meio da Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública.

As coletas serão rodadas no Laboratório Central do Estado (Lacen), em Porto Alegre, até que a estrutura do Laboratório de Fronteira (Lafron), em Uruguaiana (Fronteira Oeste), esteja totalmente montada.

No Lacen, o processamento dos testes desses profissionais ocorrerá com prioridade, para cumprir o prazo de sete dias de validade do resultado para que eles possam atravessar a fronteira.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *