A Central Térmica Uruguaiana, usina alimentada a gás natural, voltou a operar neste final de semana depois de cerca de seis anos de inatividade. O complexo voltou às atividades com uma geração de 450 MW, mas já na próxima semana deve voltar a produzir sua capacidade instalada, de 640 MW.

A termelétrica não produz energia de forma contínua desde 2009, devido às dificuldades de oferta de gás, que é importado da Argentina. Ela volta a funcionar em um momento em que a falta de chuvas causa o desabastecimento das hidrelétricas do país.

Em junho deste ano, a Central Térmica foi comprada pela Âmbar Energia, empresa que faz parte do grupo J&F Investimentos. Comandado pelos irmãos Joesley e Wesley Batista, condenados por corrupção passiva e ativa, o grupo também controla outras empresas como a JBS. R$ 24 milhões

A J&F Investimentos conseguiu por meio de decisão judicial que o governo federal inclua a usina no Sistema Interligado Nacional (SIN). A decisão habilita o grupo a receber R$24 milhões por dia do governo.

O Sistema Interligado Nacional é o conjunto de equipamentos e instalações conectados eletricamente para possibilitar o suprimento de energia do país e é controlado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS) que coordena a geração e a transmissão desses sistemas interligados.

As empresas membros produzem energia, que se junta no Sistema Interligado Nacional e, por meio da sua malha de transmissão, a redistribui por todo o país. Se gerar energia na base do sistema, a usina do grupo passa a receber R$ 24 milhões por dia do governo, um dos valores mais altos do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.