Após o registro, no dia 03/01/2022, de ocorrência noticiando suposta extorsão mediante sequestro, os fatos foram imediatamente investigados por agentes da DRACO, sob a coordenação do Delegado de Polícia Nilson de Carvalho.
Segundo a suposta vítima, a ação teria sido praticada por dois criminosos disfarçados de agentes de endemias do Município de Uruguaiana, os quais teriam invadido sua residência e a teriam feito refém, exigindo dela a entrega do cartão bancário e senha, restando um prejuízo de R$ 22.600,00 para ela e seu companheiro.
Contudo, realizadas diligências investigatórias, verificou-se que os fatos narrados continham diversas incoerências, dentre as quais a ausência do referido valor na conta bancária há pelo menos 2 meses. Além disso, chamou a atenção da Polícia Civil não haver nenhuma testemunha que tivesse ouvido ou visto a ação criminosa, que teria ocorrido durante o período da tarde em área movimentada da cidade.
Confrontada com as incoerências apuradas pela investigação criminal, a suposta vítima admitiu que os fatos não ocorreram e que inventou o episódio criminoso para justificar haver gastado R$ 22.600,00. A mulher, com 22 anos de idade, era responsável pela administração financeira do casal e, ao invés de depositar os valores na conta bancária, gastava o dinheiro em proveito próprio, sem que seu companheiro soubesse.
A mulher, que não possui antecedentes policiais, agora poderá responder pela comunicação falsa de crime, que possui pena de 1 a 6 meses ou multa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.