A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedes) de Uruguaiana reforçou o trabalho voltado às pessoas em situação de vulnerabilidade social. Segundo a responsável pela pasta, secretária Soraya Salomão, há duas equipes nas ruas abordando e convidando o grupo para pernoitar na Casa de Passagem do município. Conforme Soraya, na abordagem dos últimos dois dias, desde que o frio tornou-se mais intenso, quatro pessoas concordaram em dormir no espaço ofertado. Atualmente, a média de atendimento na casa de acolhimento é de 25 a 30 pessoas, quando a variação usual é de 25, no máximo.

A maior parte dos assistidos procura o acolhimento por conta própria, uma vez que já conhece o atendimento da casa. Soraya enfatiza que a maior parte das pessoas que estão nas ruas permanecem no local porque preferem. “Temos poucas pessoas dormindo nas ruas. Ontem (quinta-feira), durante a ação de abordagem, cinco pessoas se recusaram a aceitar a casa de acolhimento”. Apesar disso, essas pessoas que optaram por não ir para o abrigo receberam café quente, pão e cobertores. Alguns moradores de rua alegam que têm conhecidos que os convidaram para pernoitar dentro de residências, o que é o caso de dois cuidadores de carro que ficam na região do Parcão, que preferem ficar pelo local pois recebem dinheiro dos motoristas.

Soraya também relata que há um casal que já foi convidado mais de uma vez para se refugiar do frio no abrigo, mas que não vai por causa das regras do local. A Casa divide os homens e mulheres em alas diferentes. O local, que abriga até 50 pessoas, fica localizado na rua Eustáquio Ormazabal, no prédio da antiga Escola José Francisco. Nesta quinta-feira, 51 pessoas passaram a noite na casa de passagem, excedendo o teto da capacidade do abrigo. A estrutura conta com espaço para refeições, sala, dormitórios para homens, mulheres e famílias. A Casa também comporta estrangeiros que estão de passagem pelo país e que possuem dificuldades, não tendo condições de manter uma hospedagem paga.

Em São Borja, com a chegada do frio mais cedo, o município está começando antes que o habitual os serviços da Ronda Social. A ação destina-se a garantir abrigo a pessoas em situação de rua ou que não tenham onde permanecer à noite. O trabalho é coordenado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS), por meio do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS). Os serviços começaram a ser realizados na última quarta-feira e devem se estender pelo menos até o final de julho.

Diariamente, a partir das 20h30min, um veículo da prefeitura percorrerá os locais em que podem estar pessoas necessitando de apoio. Entre esses pontos, estão as praças da cidade, as áreas em frente às igrejas e a Estação Rodoviária. “Quando necessário, podemos acolher inclusive uma família inteira”, segundo ressalta a secretária de Desenvolvimento Social, Luciane Bidinoto.

As pessoas são convidadas a se abrigarem no Albergue Municipal, que está localizado na rua Sarandi, 320, bairro Itacherê. No local é oferecido banho quente, jantar e café da manhã, além de pernoite. A permanência é das 19h às 7h do dia seguinte.

Fonte: Correio do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.